Conferência sobre mudanças climáticas traz sinal de alerta para todos os países

A maior pauta do mês de novembro, em todo o planeta, chama-se 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP26), realizada em Glasgow, na Escócia. Os objetivos principais do encontro são reduzir os gases de efeito estufa e prevenir as mudanças climáticas causadas pelos seres humanos. 

A Organização das Nações Unidas (Onu) definiu, em 2015, os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODSs). O propósito da agenda global é focar nos desafios atuais, que vão desde o acesso à energia limpa, trabalho decente, redução das desigualdades, educação de qualidade, cidades sustentáveis, redução da pobreza e um consumo responsável, entre outros.

Para quem não conhece, os ODSs, em conjunto, compõem a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. Neste contexto, a Onu explica que a mudança climática tem influência em muitos, senão em todos os ODSs, e que será impossível alcançar a Agenda 2030 sem fazer intervenções sérias no combate ao problema.

A entidade espera que cada país faça um plano a fim de reduzir a quantidade dos gases de efeito estufa. Tais planos são chamados Contribuições Nacionalmente Determinadas. Praticamente todas as nações concordaram em realizar esses planos em 2015, na COP21 em Paris, evento que ficou conhecido como o Acordo de Paris. O Brasil foi um dos países que assumiu esse compromisso, além de grandes potências mundiais. No entanto, a grande maioria dos países não cumpriu grande parte do plano.

O acordo de Paris sobre mudança climática previa manter o aumento da temperatura média global abaixo de 2ºC em relação ao período pré-revolução industrial, limitando em 1,5ºC. De acordo com o documento, a medida reduziria significativamente os riscos e os impactos da mudança no clima.

Conheça as principais propostas da 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP26)

1 – Reduzir efeito estufa – Garantir a emissão líquida zero de gases do efeito estufa no mundo até 2030 e manter 1.5 grau celsius. Para isso, os países deverão acelerar a supressão das usinas de carvão, reduzir o desmatamento, ampliar energia renovável (ex: energia eólica e solar) e agilizar a mudança para veículos elétricos.

2 – Proteger comunidades e habitats naturais – Essa proposta é para capacitar e incentivar os países afetados pela mudança climática a proteger e restaurar os ecossistemas, construir defesas e tornar a infraestrutura e a agricultura mais resilientes, evitando a perda de moradia, de meios de subsistência e de vidas.

3 – Mobilizar recursos financeiros. Os países desenvolvidos devem cumprir a sua promessa de arrecadar, no mínimo, $100bi de dólares para a crise climática a cada ano.

……

Redação e edição: Andréa Pessoa I @mandalaconsultoria

#COP26

#mudançasclimáticas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s